amoriscar

“Às vezes, algum sentimento sem nome me paralisa. Frequentemente, algo me invade e grita “vai”. Mas não vou, tenho medo. Tenho medo de ir, de ficar, de tirar a máscara, de me revelar. Tenho medo que você não goste daquelas coisas que a gente vive tentando esconder. Tenho medo de não me reconhecer ao tirar aquele véu invisível que a gente usa para se proteger. Tenho medo de jogar minha arma no lixo. Tenho medo de descobrir os meus próprios lixos. Tenho medo de ter algo mais podre que uma lixeira que transborda.”
q
  • Message
  • Submit
  • Archive
  • Theme
  • 12345Older   →